Pé-na-bunda, dado ou tomado, ensina muito! 3- Seja você mesmo. Mesmo.

Todo mundo já ouviu essa frase, “Seja você mesmo”. Mas será que realmente entendemos a profundidade deste apelo? Acredito que quando psicólogos e terapeutas reforçam esta necessidade, é porque eles tem uma lista imensa de histórias terríveis e traumas profundos pelo simples fato do infeliz não ter sido sincero consigo e com o parceiro.

A gente sabe que o momento da conquista, o famoso primeiro encontro, é rodeado por uma sensação involuntária e selvagem de “caça e caçador” e não queremos que nada dê errado. Mas, se já na primeira oportunidade encarnarmos um personagem, significa que nem de nós mesmos gostamos. Se não queremos que o outro nos veja como somos, é porque ainda não nos aceitamos. Então, antes de se amarrar, meu amigo, sugiro que você se reconheça, se aceite, mude o que acreditar ser bom para a sua felicidade e principalmente, se ame. Depois disso, você terá condições de oferecer algo à alguém.

O nome dessa situação é: mentira. Simples assim. E quem sofre com isso é você e quem você tanto queria fazer bem. Em um determinado momento, e, acredite, ele chega mais cedo ou mais tarde, você vai enlouquecer e decepcionar a pessoa que saberá que estava ao lado de outro indivíduo, diferente daquele dos primeiros meses de relacionamento. Isso é tão cruel para você quanto para o outro. Uma vez ouvi a seguinte frase e guardei: “Se apaixonar, é quando você encontra alguém com quem você possa ser você mesmo”. Hoje sinto que é isso mesmo.

Fora que a pessoa além de ter o direito de saber para quem está se entregando, precisa ter a consciência de que as pessoas mudam. Vivemos experiências, conhecemos coisas novas e isso nos molda. Imagine se o ser iluminado que está ao seu lado além de conviver com suas mudanças diárias, ainda ter que aceitar que tudo aquilo apresentado no início era um conto de fadas? Nessa hora, na maioria das vezes, vai cada um pra um lado porque sem perceber você tocou em um dos pilares que sustentam qualquer relação: a confiança.

Se sua intenção é uma noite e nada mais, encarnar diversos personagens pode até ser divertido, mas quando você sossegar e quiser viver algo mais profundo e duradouro, sugiro que fique nu de todas as tranqueiras que não formam você, e revele sua essência ao escolhido. A sensação de acordar ao lado de um estranho é uma das mais bizarras, então, se você baba ao dormir, babe. Se você gosta de dançar pelado, dance. Se você ama dormir muito, durma. Se você curte sertanejo, curta. Se você é ateu, seja. Se seu lance é mudar tudo o tempo todo, mude. E se sendo você mesmo alguém disser “Eu te amo” e for recíproco, escancare as portas do seu coração!

*Perdeu os primeiros relatos da série “Pé-na-bunda, dado ou tomado, ensina muito!”? Não se desespere! Confira clicando nos links abaixo! 😉

1 – Vá aproveitar a vida!

2- É bom ser da mesma espécie

Sâmela Silva, é uma brasileira, que de viagem em viagem, foi morar em Moçambique, África, onde o despertar pela escrita falou mais alto. Jornalista e Consultora em Gestão Empresarial, vem descobrindo o mundo e se descobrindo por meio de ideias rabiscadas nos bloquinhos virtuais.  LinkedIn | Twitter | Facebook | Blog “A grama da vizinha”

Anúncios

6 pensamentos sobre “Pé-na-bunda, dado ou tomado, ensina muito! 3- Seja você mesmo. Mesmo.

  1. Adorei as frases q vc usou pra se expressar!!!! demais! 🙂
    Como as pessoas dificultam as próprias e as vidas dos outros, nao eh?! Pq sera q tem tanta gente q adora viver assim, mentindo para si, para os outros….. como q alguem pode mentir ter os mesmos anseios, querer as mesmas coisas e estar no msm ‘lugar’ na relação e achar q esse eh o melhor caminho?!? Eh como vc disse, eh doloroso para o outro e tb para a pessoa mascarada…. pq um dia ela vai se sentir sufocada com a mascara e ai…… td mundo sai ferido…

      • Mais uma vez arrasou, adorei…Realmente antes de qualquer coisa conheça a ti mesmo para depois se entregar ao outro…Quase parafraseando o que Jesus disse, ame ao próximo como a ti mesmo…Se vc não se ama, não tem auto-estima, não se conhece, não sabe o que quer fica difícil transmitir isso ao outro e compreendê-lo…Parabéns, adorei…bjs

  2. Pingback: Pé-na-bunda, dado ou tomado, ensina muito! 4- É proibido mudar! Só que não. | Blog da Sâ

  3. Pingback: Pé-na-bunda, dado ou tomado, ensina muito! 5 – Família faz parte do pacote. | Blog da Sâ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s