Pé-na-bunda, dado ou tomado, ensina muito! 2- É bom ser da mesma espécie

Sabe aquela história de “os opostos se atraem”? Então… 

Os opostos se atraem mesmo, vide o lado positivo e negativo das pilhas, mas olha, se tratando de seres humanos que desejam um relacionamento baseado em companheirismo, presença e cumplicidade, acho que pode ser uma combinação bem arriscada. Eu explico. Agindo no impulso e na paixonite aguda, escolhi pessoas que na maioria das vezes eram o oposto de mim em quesitos essenciais. Ser diferente é bacana, procurar alguém igual é utópico, mas se a pessoa for extremamente diferente nos itens que você tem como base para a sua vida, uma hora o bicho vai pegar.

Por exemplo, sou do tipo que gosta de conversar, ir em exposições, teatros, shows, viajar. Não tenho uma religião definida, gosto de aventuras, de experimentar coisas novas, fico mais segura ao planejar, sou controlada financeiramente, e mais algumas outras bobagens. Pra completar sou romântica, amo surpresas, demonstrações de afeto, etc, mas é incrível como eu sempre tive a capacidade de atrair pessoas que estão c*g*ndo pra tudo isso. Flores então! Eu adoro, e só ganhei uma vez, e foi aquele buquet que veio junto com um “Eu te amo” que me fez fugir. Vai entender… Bom, o problema é que, das duas uma:

Você se frustra

Você vai esperar atitudes e elas não virão. Mas como todo bom apaixonado, você sempre ficará na esperança de que a pessoa abra exceções de vez em quando, que inove, etc, e aí vem uma das mais torturantes sensações: a expectativa. Essa palavrinha tem o poder de te levar do céu ao inferno em segundos. Esperou, não ganhou? Se frustrou. Simples assim.

ou…

Você se anula

Para sustentar o relacionamento e não se frustrar, você começa a abrir mão das coisas. Daquelas coisas que eram essenciais pra você, que te faziam feliz. De repente, surge um vazio, um algo grande que você não sabe o nome, mas sabe que aquilo não estava ali, que era de outro jeito, você era de outro jeito. E quando menos esperar, você tende a explodir e a querer viver tudo o que deixou de viver, ou, com 50 anos vai se questionar “Que chatice, o que eu fiz da minha vida?”.

Ter alguns itens diferentes é normal e gostoso porque você conhece coisas novas, experimenta, se reinventa através das novas experiências. Mas quando você junta água e óleo… Bom, se você não sabe o que acontece, corra para a cozinha e faça a experiência. Pra mim, é exatamente o que acontece na vida real. Se você for indiferente e não se importar com esse distanciamento, ok! Seja muçulmano e case-se com uma defensora dos homossexuais e dos direitos da mulheres. Vai dar super certo… Só que não.

O pior disso tudo ao meu ver, é que sem perceber, na maioria das vezes, vocês estarão indo para lados opostos. Estarão sozinhos em seus anseios, atos e planos. E esse tipo de relacionamento já não combina comigo. Se for pra estar sozinha em tudo, fico sozinha então. Decidi que agora quero encontrar partilha, vivência de novas experiências de mãos-dadas, e se for algo bizarro, tipo saltar de paraquedas, eu entenderei se a pessoa só quiser me acompanhar e vibrar em terra firme e farei o mesmo por ela caso ela queria comer buchada de bode! Rs…

Enfim, antes eu achava que só amor e paixão bastavam, mas depois de 11 anos de carreira e um semi-divórcio cheguei à conclusão de que para manter um relacionamento feliz e duradouro é preciso muito mais do que essa parte conto-de-fadas da história, e esse “mais” conto nos próximos causos!

O que vocês pensam sobre isso? Compartilhem comigo aqui nos comentários do post!

Perdeu o 1º relato da série “Pé-na-bunda, dado ou tomado, ensina muito!”? Não se desespere! Confira clicando no link abaixo! 😉

1 – Vá aproveitar a vida!

Sâmela Silva, é uma brasileira, que de viagem em viagem, foi morar em Moçambique, África, onde o despertar pela escrita falou mais alto. Jornalista e Consultora em Gestão Empresarial, vem descobrindo o mundo e se descobrindo por meio de ideias rabiscadas nos bloquinhos virtuais.  LinkedIn | Twitter | Facebook | Blog “A grama da vizinha”

Anúncios

15 pensamentos sobre “Pé-na-bunda, dado ou tomado, ensina muito! 2- É bom ser da mesma espécie

  1. Adorei o texto…Realmente se o casal não tem pelo menos os mesmos objetivos em comum, fica mt difícil manter o relacionamento, as diferenças podem existir em vários setores,mas qto ao modo de enxergar a vida e como ela se seguirá tem que estar em sintonia, caso contrário quando as dificuldades aparecem a tendência é o afastamento….Por isso as afinidades precisam existir e os objetivos devem ser os mesmo…e claro paciência, tolerância e mt amor…bjs tô ansiosa pelo próximo post, rs

  2. Como sempre um texto supimpa!! hehehehehe
    A verdade é: não da pra escolher por quem se apaixonar, mas realmente um relacionamento não eh só amor e paixão… é compartilhar a sua vida com o outro.. e como fazer isso com alguem q nao quer o msm q vc?! q nao tem os msms objetivos, anseios e modo de vida?! não dá certo, eh algo fadado ao fracasso! Pq se um gosta de peixe e o outro odeia, isso eh besteira, mas se um tem o sonho de morar na praia e o outro nem gosta de sol… vixi ai não tem solução.. um dos dois vai ceder e ser infeliz…

  3. Até o presente momento, não consegui ingressar num relacionamento em que a definição dada à mim e ao meu parceiro não fosse “os opostos se atraem”… Incrível rs!

    Adorei o texto e obviamente me identifiquei com muitas coisas nele, principalmente com a parte do “Você se frustra”… Infelizmente, me frustrei inúmeras vezes por causa das diferenças entre eu e meus respectivos parceiros, mas é aquela velha história neh, as pessoas não são iguais, afinal o ser humano não é absoluto. Por isso gostei muito quando vc fala sobre o outro ser extremamente diferente nos itens que temos como base de vida Sâ, pois é exatamente isso! Devemos buscar no outro o aspecto que seja mais importante para nós e investir nele, mas se nem neste houver sintonia, com certeza, resultará no fracasso da relação (como mencionados pelas nossas colegas acima).
    Enfim, eu aprendi muito ao me relacionar com pessoas opostas e sei que ainda vou encontrar outras assim na vida e aprender ainda mais, mas estou buscando o que entendo ser o melhor pra mim ou o que chegue mais próximo disso e sei que um dia eu hei de encontrar rs.

    Tbm estou ansiosa para ver os próximos posts.

    Beijo!

  4. Existe uma palavra também que valorizo muito , a maturidade…e que muda muita coisa. Tenho um relacionamento de anos e só houve harmonia e paz quando amadurecemos e conseguimos equilibrar as vontades individuais, refletir e quando conseguimos estar dispostos a mudar. E mudar não significa anular-se, mas algumas vezes encontrar um meio termo para que ambos estejam satisfeitos. As briguinhas anteriores valeram a pena…rsrsr

  5. Sâ, gostei muito do post, realmente esta cena de relacionamentos é complicada…ou será que nós complicamos algo que poderia ser muito simples? Sei lá…Com certeza, ficarmos com uma pessoa que seja “parecida” com a gente, que tenha os mesmos ideais, os mesmos sonhos tornará mais fácil esta convivência e terá mais chances de ser duradouro…mas, será que aprenderemos alguma coisa com ela? Conseguiremos ver a vida com outros olhos…teremos a oportunidade de curtir outras coisas, coias que não imaginávamos, sensações incríveis… acredito que não!
    Certamente passaram e ainda passarão muitas pessoas “diferentes” de nós em nossas vidas, tudo é um aprendizado…afinal, ninguém, entra em nossa vida por acaso…se saiu é porque já fez o seu papel…bola frente em busca do novo!
    A única certeza que eu tenho é: “viva cada momento intensamente, se ame muito mais do que a pessoa que esta ao seu lado e nunca se esqueça da sua verdeira essência”
    Até quando durará um relacionamento? Não se sabe, ninguém sabe…
    Na momento certo, quando estivermos preparados e prontos…a pessoas certa irá aparecer…e daí…felicidade total!
    Sempre penso que as pessoas que nos fizeram sofrer, de alguma forma, colaboram para a nossa evolução com o objetivo de tornar-nos mais forte para a VIDA e para a pessoa certa…existe pessoa certa? Acredito que sim…mas, podemos ter várias pessoas certas para cada fase da nossa vida…

    Amiga, continue escrevendo…desejo muito sucesso pra você e um grande amor! Saudades de você!
    Temos que nos encontrar no aeroporto na minha volta hein! Beijão

    • Obrigada por deixar sua opinião, Gabi! Eu penso um bocado diferente mas essa é beleza da vida, cada um poder ter suas crenças livremente! 🙂 Nesta série estou apresentando o que quero para mim daqui pra frente depois de 11 anos envolvida em diversos relacionamentos e após várias conversas com amigos, inclusive pessoas mais velhas e que são ou já foram casadas. Nada aqui pretende ser uma verdade absoluta, nesse texto em si o que realmente quero dizer é que se o sonho de um homem é ser pai e o de sua mulher for NÃO ser mãe, fica difícil ter um relacionamento duradouro sem que um dos dois se machuque. 😉 Falei dos extremos, as diferenças são sim bem-vindas, mas a essência, para mim, facilita se for parecida. 😉 Bjinhos!

  6. Pingback: Pé-na-bunda, dado ou tomado, ensina muito! 4- É proibido mudar! Só que não. | Blog da Sâ

  7. Pingback: Pé-na-bunda, dado ou tomado, ensina muito! 5 – Família faz parte do pacote. | Blog da Sâ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s