Tecnologia x Atendimento ao Cliente em Moçambique, estamos prontos para isso?

Ah Moçambique… o velho e o novo em seus encontros e desencontros. Não que isso seja ruim, acredito que é parte do processo de mudança e evolução e respeitar o tempo e a história de cada um é fundamental, mas exige um bocado de paciência e tolerância a mais.

Feliz da vida, hoje fui pela 1ª vez a uma agência bancária inaugurada há poucos meses e realmente me surpreendi: tudo novo, bonito, sistema de senhas e uma infra-estrutura que nos deixa aguardando confortavelmente em cadeirinhas. Parabéns, o povo moçambicano merece essa inovação! Por um momento foi até engraçado, pois muitos clientes se assustavam com o sistema de senhas, quando a máquina “cuspia” o papelzinho, vi vários sorrisos achando aquilo diferente e incrível. Mas ao experimentar toda essa inovação, percebi que o novo continua velho.

Acabei me esquecendo do velho ditado “não julgue pela aparência” e me senti o máximo no banco, mas com o tempo constatei que a essência não havia mudado. Os processos continuam complicados e demorados e os funcionários com um péssimo hábito de atender mal os clientes.

Impressionantemente, em pelo século XXI, muitas empresas, de qualquer lugar do mundo, ainda não entenderam a importância de um serzinho chamado, cliente. Lembram-se de pensar na marca, cores, design, etc e esquecem de se perguntar o mais simples e eficaz: O que posso fazer para facilitar a vida do meu cliente e ser lembrado por ele como um agente de solução? Com um processo velho, a agência bancária passou de linda para um grande presente grego.

Tem coisa pior do que ser atendido por alguém que não te olha nos olhos, fala áspero, demonstra impaciência como se você, cliente, estivesse atrapalhando o dia dele? Infelizmente, sinto isso frequentemente. Quando sou bem atendida é tão inusitado que faço questão de fazer elogios. Falta um grande investimento no treinamento destes profissionais, e tenho certeza que isso faria muita diferença na vida do povo moçambicano que tanto depende destes serviços.

Estou pensando seriamente em aderir à prática do antropólogo, Professor Marins. Vejam no vídeo abaixo como ele faz e as dicas pra viver com entusiasmo que você deve exercitar e divulgar para seus companheiros de labuta! Sério, você, seja de onde for e independente da profissão, PRECISA ouvir este homem!

Ah! As cadeirinhas novas serviram muito, já que tive que esperar por 1h30 até ser atendida por completo.

Sâmela Silva, é uma brasileira, que de viagem em viagem, foi morar em Moçambique, África, onde o despertar pela escrita falou mais alto. Jornalista e Consultora em Gestão Empresarial, vem descobrindo o mundo e se descobrindo por meio de ideias rabiscadas nos bloquinhos virtuais. LinkedIn | Twitter | FacebookBlog “A grama da vizinha”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s